domingo, 29 de janeiro de 2017

Cinco dicas para pedir um empréstimo




Tempos bicudos atravessamos no País e conseguir um dinheirinho para segurar as pontas, pagando dívidas maiores, ou investir em um negócio é uma necessidade para muita gente. Há centenas de locais onde solicitar essa grana extra - seu próprio banco, financeiras, cooperativas de crédito, empresas de empréstimo online, agiotas -, mas as taxas variam muito. Dou aqui cinco dicas para pedir seu empréstimo.

  1. Busque o menor CET: o Custo Efetivo Total (CET) é a sigla que você deve olhar com atenção em todas as simulações que fizer. Ele representa o percentual total de custo daquele empréstimo em porcentagem, incluindo juros, taxas, impostos, etc. Assim, um empréstimo de R$ 1.000 com CET anual de 80% significa que o custo total de obter aquele dinheiro é de 80% caso o pagamento fosse realizado depois de um ano, ou seja, R$ 800. O CET é uma forma fácil de comparar as condições de um empréstimo ao de outro;
  2. Selecione a melhor garantia: o recurso usado como garantia para o empréstimo impacta diretamente na CET. Assim, um crédito consignado ou que outro tenha um carro como garantia tende a ter uma CET menor do que um empréstimo sem qualquer garantia. Esta matéria da Exame dá boas orientações sobre formas de crédito - um ponto interessante é que um bem de maior valor, como imóvel, nem sempre resulta em um empréstimo a custos mais baixos, pois há muitas taxas envolvidas na operação;
  3. Saiba de quanto precisa e como pagará (e pague): é obvio, mas percebo que é um ponto muito negligenciado. Às vezes, por falta de planejamento e visão sobre as finanças pessoais, pedem-se empréstimos inferiores ao que realmente precisa, pois não se enxerga o todo das despesas e dívidas futuras, mesmo em um prazo inferior a 30 dias. Olhe com atenção o futuro pela frente para ter uma noção real de quanto precisa. A matemática não aceita zeros a mais. Também sejamos sinceros com nós mesmos sobre como pagar a dívida e definirmos o que eliminaremos das despesas para encaixarmos a parcela do empréstimo - trocar cinema por filme em casa, substituição de marcas, etc.   
  4. Use a internet a seu favor: boa parte da saga para conseguir o empréstimo pode ser online. Aqueles milhares de reais em crédito pessoal disponíveis em seu banco são muito fáceis de pedir e transferir para a conta corrente, mas o CET pode ser elevado demais ao comparar com outras alternativas. Use a internet como canal para pesquisar outras fontes de empréstimo, entre as quais destaco os parceiros do app de acompanhamento de finanças pessoais GuiaBolso e o Geru, site de empréstimos pessoais. Depois de alguma experiência prática no assunto, obtive um empréstimo no Banco Semear, parceira do GuiaBolso, por um CET cerca de 40% inferior ao proposto pelo banco onde tenho conta há mais de 20 anos; 
  5. Não desista e mantenha a elegância: seu pedido poderá ser negado e isso faz parte do jogo. Junte a documentação e busque outra instituição para pedir um empréstimo. Não recomendo fazer barulho nas redes sociais a respeito do assunto, pois já testemunhei as próprias instituições rebatendo a reclamação do cliente com algo como "a documentação fornecida não era consistente e não confirmava o que você havia relatado". Bom, tipo péssimo, né?
Se você tiver outra recomendação, deixe nos comentários. :-)

Nenhum comentário: