terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Capitalização vale tão a pena quanto a Mega-Sena - parte 1

Seu gerente já tentou vender uma capitalização como um jeito bacana de guardar dinheiro e, ainda por cima, concorrer a prêmios?

Comigo já. Por conta das metas das agências bancárias, o gerente às vezes tem o infeliz trabalho de sugerir produtos com uma abordagem equivocada a fim de alcançar os resultados fixados pela matriz. Resultado: gente incauta acaba comprando gato por lebre e se arrependendo mais tarde porque não era isso exatamente o que o cliente entendia por "guardar dinheiro".

Com a minha experiência em capitalização, entendo o seguinte: capitalização vale tão a pena quanto a Mega-Sena. Aliás, um sortudo em Camboriú (SC) pode embolsar R$ 1 milhão.

Se tomarmos a clássica poupança como um jeito de guardar dinheiro, então destaco as principais diferenças ruins para a capitalização:

  • na capitalização, a remuneração é menor que da poupança - em geral, o dinheiro é corrigido pela TR, ao passo que a poupança é por TR+6% ao ano;
  • na capitalização, uma parte do que você paga é usada para bancar os prêmios, ou seja, nem tudo o que você paga volta corrigido;
  • na capitalização, os prazos para retirada do dinheiro são bem superiores aos 30 dias da poupança. Se você tirar antes do tempo, de alguma forma você pagará por isso - como tendo uma remuneração menor ou não concorrendo aos outros sorteios;
  • os prêmios não costumam ser tão "polpudos" como o da loteria;
  • é bem menos emocionante - diferentemente da loteria, não haverá uma comoção geral no escritório do tipo "não foi desta vez" ao resultado de cada bolão.

Mas não é o fim do mundo! Amanhã falarei sobre algumas coisas boas da capitalização.

Nenhum comentário: